12.04.95 – 18:07 – JSK

In Arte e Estética, Crônica by ancuri

Vinte três anos se passaram daquele corte de cordão em que a mão tremeu e a foto borrou. Com os olhos embaçados em lagrimas continuei a clicar na ilusão de barrar o tempo e eternizar aquela hora. 18:07. Vinte três anos se passaram, pouco mais de cem quilometros nos separam, mas em mim o relógio teima em circular o ponteiro dos segundos sem apagar a hora. 18:07. Você veio ao mundo, não ao meu encontro. E eu te olho passageira com especial atenção. 18:07. Quase não chegava a tempo, mas o tempo que passa, passa tempo, não para de passar. Mas que me importa o tempo, aquela hora me veio. E o amor nada tem com o tempo.

Para Juliana Siebra Kardozo