Balance, Luiza, balance!

In Arte e Estética, Crônica by ancuri

Balance, Luiza,balance! Se pra ser criança é preciso transgredir um pouco, então balance. Um minuto de alegria vale o risco, se a noite é escura. Pule o muro da escola. Invada o jardim da infância. Oscile entre o passado que se imagina feliz e o futuro de risco e esperança. Balance, Luiza, balance! A utopia se faz sempre de presente.